Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Seção 18 - Distúrbios da Pele

Capítulo 206 - Distúrbios da Pigmentação

A cor da pele é determinada por uma combinação dos pigmentos produzidos na pele e das cores naturais das camadas superiores da pele. Sem pigmentação, a pele teria uma coloração branco-pálida com tonalidades variáveis de rosa decorrentes do fluxo sangüíneo através da pele. O principal pigmento da pele é a melanina, um pigmento castanho-escuro sintetizado por células (melanócitos) que estão dispersas entre as outras células da camada superior da pele, a epiderme. A hipopigmentação, uma quantidade anormalmente baixa de pigmento, é geralmente limitada a pequenas áreas de pele. Habitualmente, a hipopigmentação é decorrente de uma doença inflamatória prévia da pele ou, em raros casos, pode representar uma condição hereditária. Quando a pele é exposta à luz solar, ela aumenta a produção de melanina e isto produz o bronzeado. Quantidades aumentadas de melanina (hiperpigmentação) podem ser uma resposta a alterações hormonais, como as que podem ocorrer ocorrer na doença de Addison, na gravidez ou com o uso de contraceptivos orais. A pele também pode escurecer em doenças (p.ex., hemocromatose ou hemossiderose) ou em resposta a muitos medicamentos que são aplicados sobre a pele ou administrados pela via oral ou injetável.

topo

Albinismo

O albinismo é um distúrbio hereditário raro no qual não ocorre produção de melanina. Os indivíduos com albinismo (albinos) possuem cabelos brancos, pele pálida e olhos rosados. Freqüentemente, os albinos também possuem uma visão subnormal e nistagmo (movimentos involuntários dos olhos). Como a melanina protege a pele contra a ação do sol, os albinos apresentam uma tendência a sofrer queimaduras solares e, conseqüentemente, ao câncer de pele. Eles podem minimizar esses problemas evitando a exposição à luz solar direta, utilizando óculos de sol e aplicando filtros solares com um fator de proteção solar (FPS) superior a 15 sobre as áreas expostas da pele.

topo

Vitiligo

O vitiligo é um distúrbio no qual a perda de melanócitos produz manchas lisas e esbranquiçadas na pele. Em alguns indivíduos, surgem apenas uma ou duas manchas bem delimitadas. Em outos, as manchas do vitiligo ocorrem em uma grande parte do corpo. As alterações são mais evidentes nos indivíduos com pele escura. Como no albinismo, a pele não-pigmentada é extremamente sensível às queimaduras solares. As áreas da pele afetadas pelo vitiligo também produzem pêlos brancos, pois os folículos pilosos perdem os melanócitos. O vitiligo pode ocorrer após um traumatismo físico incomum, sobretudo um traumatismo crânioencefálico), e tende a ocorrer com algumas doenças (p.ex., doença de Addison, diabetes, anemia perniciosa e distúrbios da tireóide). O vitiligo pode ser psicologicamente devastador devido à grande desfiguração decorrente da alteração pigmentar. A pitiríase versicolor é uma infecção fúngica da pele que pode apresentar um aspecto semelhante ao vitiligo, se bem que, algumas vezes, ela produz hiperpigmentação.

Tratamento

Não se conhece uma cura para o vitiligo. Pequenas á reas podem ser camufladas com diversos corantes que não mancham as roupas e cujos efeitos podem durar vários dias. O tratamento com psoralenos (drogas sensíveis à luz) juntamente juntamente com a luz ultravioleta A (PUVA) é algumas vezes eficaz, mas este tratamento é longo e deve ser mantido indefinidamente. Os filtros solares e protetores contra a exposição ao sol podem evitar as queimaduras solares.

topo

Perda de Pigmento Após Uma Lesão Cutânea

Algumas vezes, a pele perde seu pigmento após a cura de determinadas doenças cutâneas como bolhas, úlceras, queimaduras e infecções. Geralmente, a pele não apresenta uma cor branco marfim como no vitiligo e, no decorrer do tempo, a pigmentação pode retornar. Os cosméticos conseguem ocultar este tipo de mancha.

Melasma

O melasma aparece sobre a face (geralmente na fronte, bochechas, têmporas e maxilas) como um grupo grosseiramente simétrico de áreas pigmentadas castanho-escuras que freqüentemente são bem delineadas. O melasma ocorre sobretudo durante a gravidez (máscara gravídica) e também pode ocorrer em mulheres que utilizam contraceptivos orais. O escurecimento geralmente diminui um pouco após a mulher dar à luz ou suspender o uso do contraceptivo oral. As pessoas com melasma podem utilizar filtros solares sobre as áreas escuras e evitar a exposição ao sol para prevenir a piora do quadro. Quando aplicadas durante um longo tempo e de forma regular, certas pomadas que exigem prescrição médica podem clarear as manchas escuras.

topo