Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Seção 24 - Acidentes e Lesões

Capítulo 280 - Distúrbios do Calor

O corpo pode ser capaz de manter a sua temperatura dentro de uma faixa estreita, tanto em um clima quente quanto em um clima frio, por meio da sudorese, de alterações da respiração, de tremores e da variação do fluxo sangüíneo que chega a pele e aos órgãos internos. Contudo, a exposição excessiva a temperaturas elevadas pode acarretar distúrbios como a exaustão pelo calor, a intermação e as câimbras causadas pelo calor.

O risco de apresentar um desses distúrbios causados pelo calor aumenta com a umidade elevada, que diminui o efeito refrescante da sudorese, e com o esforço físico prolongado, que aumenta a quantidade de calor produzido pelos músculos. As pessoas idosas, as muito obesas e os alcoolistas crônicos são especialmente suscetíveis aos distúrbios causados pelo calor, assim como as pessoas que fazem uso de determinados medicamentos (p.ex., antihistamínicos ou antipsicóticos) ou que consomem certas drogas (p.ex., álcool e cocaína).

A melhor forma de evitar doenças relacionadas ao calor é a utilização do bom senso. Por exemplo, os esforços físicos excessivos em um ambiente muito quente ou em um espaço mal ventilado devem ser evitados e vestimentas adequadas devem ser utilizadas. Pode ser realizada a reposição de líquido e sais perdidos pelo suor pela ingestão de bebidas e alimentos levemente salgados (p.ex., suco de tomate salgado ou caldo de carne frio). Muitas bebidas comerciais (p.ex., Gatorade) contêm uma quantidade adicional de sais. Quando o esforço em um ambiente quente não pode ser evitado, é importante que a pessoa ingira muito líquido e refresque a pele, molhando a com água fria.

topo

Exaustão pelo Calor

A exaustão (prostração) pelo calor é uma condição resultante da exposição ao calor durante muitas horas, em que a perda excessiva de líquidos em decorrência da sudorese intensa acarreta fadiga, hipotensão arterial e, algumas vezes, o colapso.

A exposição a temperaturas elevadas pode fazer com que a pessoa perca uma quantidade excessiva de líquido pelo suor, particularmente durante um esforço físico intenso ou exercício. Junto com a perda líquida, ocorre a perda de sais (eletrólitos), que altera a circulação e a função cerebral. Como resultado, pode ocorrer a exaustão pelo calor. Esta parece ser grave, mas, raramente, é.

Sintomas e Diagnóstico

Os principais sintomas são a fadiga crescente, a fraqueza, a ansiedade e a sudorese abundante. A pessoa pode ter sensações de desmaio ao ficar em pé, pois o sangue acumula-se nos vasos sangüíneos dos membros inferiores, que encontram- se dilatados pelo calor. Os batimentos cardíacos tornam-se lentos e fracos; a pele fica fria, pálida e viscosa e a pessoa apresenta confusão mental. A perda líquida reduz o volume sangüíneo, baixa a pressão arterial e pode fazer com que a pessoa entre em colapso ou desmaie. Geralmente, a exaustão pelo calor pode ser diagnosticada baseando-se nos sintomas.

Tratamento

O principal tratamento consiste na reposição líquida (reidratação) e de sal. Geralmente, basta a pessoa deitar completamente ou ficar recostada com a cabeça mais baixa que o restante do corpo e consumir bebidas frias e levemente salgadas em intervalos de alguns minutos. Algumas vezes, a reposição líquida é administrada pela via intravenosa. Também ajuda o fato da pessoa passar para um ambiente fresco. Após a reidratação, a pessoa freqüentemente recupera-se de forma rápida e completa. Quando a pressão arterial e a freqüência de pulso permanecem baixas por mais de uma hora apesar do tratamento, deve-se suspeitar de uma outra condição.

topo

Intermação

A intermação é uma condição potencialmente letal resultante de uma exposição longa ao calor, em que a pessoa não pode suar o suficiente para fazer baixar a sua temperatura corpórea.

Freqüentemente, esta condição ocorre rapidamente e exige tratamento intensivo imediato. Quando uma pessoa desidrata e não consegue suar o suficiente para resfriar o corpo, a temperatura corpórea pode subir para níveis perigosamente elevados, causando a intermação. Determinadas doenças (p.ex., esclerodermia e fibrose cística) diminuem a capacidade de sudação, aumentando o risco de intermação.

Sintomas e Diagnóstico

A intermação pode ocorrer rapidamente e nem sempre é precedida por sinais de alarme como, por exemplo, cefaléia, vertigem (sensação de que tudo está rodando) ou fadiga. A sudorese pode diminuir, mas nem sempre. A pele fica quente, hiperemiada e, comumente, seca. A freqüência cardíaca aumenta e pode rapidamente atingir de 160 a 180 batimentos por minuto, em contraste com a freqüência cardíaca normal de 60 a 100 batimentos por minuto. A freqüência respiratória geralmente diminui, mas a pressão arterial raramente se altera. A temperatura corpórea, a qual deve ser medida no reto, sobe rapidamente para 40 a 41°C, causando uma sensação de “estar queimando”. A pessoa pode apresentar desorientação e confusão mental, podendo rapidamente perder a consciência ou apresentar convulsões.

Quando não tratada imediatamente, a intermação pode causar lesão permanente ou morte. Uma temperatura de 41°C é muito grave e uma temperatura somente um grau mais elevada pode ser mortal. A lesão permanente de órgãos internos (p.ex., cérebro) pode ocorrer rapidamente e, freqüentemente, causa a morte. As pessoas muito idosas e aquelas com uma doença debilitante, inclusive os alcoolistas, tendem a apresentar um pior prognóstico. Geralmente, o diagnóstico de intermação é baseado nos sintomas.

Tratamento

A intermação é uma emergência e as medidas de salvamento da vida devem ser instituídas imediatamente. A pessoa que não puder ser rapidamente levada a um hospital deve ser envolta com roupas ou lençóis molhados, imersa em um lago, em um rio ou em uma banheira com água fria ou resfriada com gelo, enquanto espera o transporte. No hospital, a temperatura corpórea é controlada constantemente para se evitar um resfriamento excessivo. Pode ser necessária a administração intravenosa de medicamentos para controlar as convulsões. Após uma intermação grave, o repouso ao leito durante alguns dias é aconselhável. A temperatura corpórea pode oscilar anormalmente durante semanas.

topo

Câimbras Causadas pelo Calor

As câimbras causadas pelo calor são espasmos musculares graves resultantes de uma sudorese intensa durante um esforço físico intenso em condições de calor extremo.

As câimbras causadas pelo calor são decorrentes da perda excessiva de líquidos e sais (eletrólitos), incluindo o sódio, o potássio e o magnésio, resultante da sudorese intensa, como ocorre durante um esforço extenuante. As câimbras causadas pelo calor são comuns entre os trabalhadores manuais (p.ex., pessoal de salas de máquinas, trabalhadores de siderúrgicas e mineiros). Muitas camadas de roupas, como as usadas por alpinistas ou esquiadores, podem ocultar uma sudorese intensa.

As câimbras causadas pelo calor freqüentemente começam subitamente nas mãos, nas panturrilhas ou nos pés. Geralmente, elas são dolorosas e incapacitantes. Os músculos tornam-se duros, tensos e difíceis de serem relaxados.

As câimbras causadas pelo calor podem ser prevenidas ou tratadas através do consumo de bebidas ou alimentos contendo sal. Raramente, a pessoa afetada tem de receber líquidos e sais por via intravenosa. Os comprimidos de sal podem ajudar a evitar as câimbras causadas pelo calor, mas, freqüentemente, causam problemas de estômago. O consumo de sal em excesso pode causar edema (retenção líquida).

topo